Pesquisar no blogue

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Até para o ano!

Peço desculpa aos "seguidores" da Donna Lisa pela falta de posts nos últimos dias, mas a azáfama pré-natalícia deixou-me exausta e tenho aproveitado estes dias para descansar, ou seja, poucos crafts, alguma culinária e costura q.b., mas em 2013 prometo que voltarei cheia de energia com posts repletos de novas ideias! :)
 
 
 
 
Até lá, entrem no NOVO ANO em grande, divirtam-se e deixem os problemas em 2012! Enfrentem 2013 destemidamente e com otimismo, o que interessa não é o que temos mas sim o que SOMOS.
Não se esqueçam que...
As coisas simples da vida são as melhores! :)
 


quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Massa da Horta

Depois dos exageros natalícios, sem saber muito bem o que fazer para almoço, vasculhei o frigorífico e encontrei alguns vegetais/legumes que me poderiam ser úteis. Quando a paciência e o tempo não é muito, não há nada melhor do que fazer uma massa e juntar o que houver à mão. Foi assim que surgiu este prato!
 
 
Ingredientes:
  • massa integral (neste caso usei esparguete)
  • 3 dentes de alho picado
  • uma colher de sopa rasa de sementes de sésamo
  • 1/2 pimento vermelho partido aos cubinhos
  • 1/2 beringela cortada aos cubinhos
  • 3 folhas de couve portuguesa cortada em juliana larga
  • 2 cenouras médias cortadas em cubinhos
  • outros legumes/vegetais
  • óleo de amendoim (quem não tiver pode usar azeite ou outro óleo vegetal)
  • 1 colher de sopa de molho de soja
  • sal e pimenta
  • especiarias e/ou ervas aromáticas a gosto
Cozer a massa conforme as indicações da embalagem. Depois de cozida, escorrer e reservar.
 
Cozer as couves e a cenoura por alguns minutos até estarem tenras, escorrer e reservar.
 
Num wok ou frigideira grande, colocar a quantidade de óleo de amendoim suficiente para saltear os legumes e quando estiver quente adicionar as sementes de sésamo e o alho. Saltear um pouco até as sementes começarem a libertar o seu aroma.
Juntar o pimento e beringela e tapar para estufar durante alguns minutos. Quando estiverem moles, juntar os legumes cozidos e temperar com o molho de soja, sal (apenas uma pitada) e pimenta. Quem quiser pode adicionar mais alguns temperos, no meu caso juntei um pouquinho de praprika e piri-piri (gosto da comida moderadamente picante!). Mexer lentamente e saltear durante mais alguns minutos, até os sabores estarem todos bem apurados.
Juntar depois a massa escorrida e envolver bem até estar bem misturada com os legumes.
 
É hora de servir e disfrutar, com a vantagem de ser uma refeição vegana repleta de vitaminas, para desenjoar dos doces!
 
Bom apetite!

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Feliz Natal!

FELIZ NATAL!!!
Que seja passado em harmonia, deixando os problemas para trás, esquecendo as preocupações diárias, e festejando com aqueles que nos são mais queridos o que ainda temos de bom na vida! :)


sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Prenda de boas-vindas a uma recém-nascida

Para dar as boas-vindas a este mundo à pequenina bebé da amiga R., tive de fazer algo especial, e tudo começou com este mobile:
 

 

 
 Para complementar, aproveitei a imagem do ursinho do mobile e fiz a versão peluche com um tecido bem macio e suave, em tons de rosa, com uma t-shirt às riscas bem catita, para fazer companhia à Catarina nos seus soninhos (que pelos vistos são poucos!).
 




segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Tascos imperdíveis: Tatana

tascos (definição de Donna Lisa): restaurantes onde se come em quantidades industriais, pratos tipicamente portugueses, sem o mínimo de preocupação por níveis de gordura, sal e açúcar, e cuja última das prioridades é a decoração do local (o que não quer dizer que seja obrigatoriamente má); normalmente os pratos são confecionados com produtos locais, de ótima qualidade, que provavelmente não passaram em nenhum controlo de qualidade (só o do cliente) e são geridos como um negócio familiar, em que diversos elementos da família cumprem as várias funções no tasco (desde a mãe cozinheira até ao pai empregado de mesa); além de tudo isto, são espaços que estão sempre cheios de clientela, barulhentos, e a conta no final é desproporcionalmente inferior à quantidade de comida que se ingeriu
 
Bem, o que dizer sobre o Tatana?... Havia tanto para dizer, mas eu vou tentar descrever o melhor que conseguir este "tasco", apesar de ser uma missão demasiado ambiciosa!

O Tatana foi onde eu tive a minha primeira experiência, há muitos anos atrás, de... ir a um tasco, daqueles verdadeiros tascos, supra-sumos dos tascos, um tasco ao quadrado (não sei se me fiz entender).

Tudo começa pela localização! Como também é habitual neste tipo de estabelecimentos, os tascos encontram-se na sua maioria no meio de nenhures, no fim do mundo, onde ninguém está à espera de encontrar um restaurante. Quase que parecem uns clubes secretos, frequentados por uma elite (não no sentido usual da palavra) de pessoas que tiveram a honra de serem convidados a pertencer a este clube. Pois o Tatana fica nos confins de Paços de Ferreira, num beco onde ainda hoje não sei lá ir dar sem GPS, depois de já lá ter ido tantas vezes. Se calhar para o pessoal de Paços de Ferreira, aquilo encontra-se no centro, mas para mim (que não conheço nada dessa cidade) fico perdida com a localização.

Depois de o encontrar, temos de entrar (medo!). O restaurante tem mesmo aspeto de tasco, com mesas compridas, bancos corridos de madeira, as paredes repletas de garrafas de bebidas e qualquer recantos(incluindo o tecto) serve para pendurar bandeiras, cachecois e fotos de clubes de futebol, principalmente da equipa de Paços de Ferreira (como é óbvio). Esquecendo a decoração e qualquer dúvida sobre as condições de higiene, podemos dar início ao manjar.

As entradas! Com a quantidade de entradas do Tatana ficamos com mantimentos suficientes para alimentar uma pequena aldeira durante semanas! São tantas, mas tantas, e tão boas!! Na minha opinião, é o melhor do tasco!


Ora bem, temos: o pãozinho fresquinho (normalmente é regueifa), o queijo amanteigado, as fatias de presunto fininhas, apetitosas azeitonas, pataniscas de bacalhau grandes e fofas, os panadinhos de porco acabados de fritar, orelheira de porco com molho verde, rojões acompanhados de pickles, moelinhas bem condimentadas, alheira assada, chouriço e linguiça grelhados, costelinhas com chicha, e penso que deve estar quase tudo, se a memória não me falha... Tudo isto é despejado na nossa mesa, independemente do nº de pessoas que aí estejam! Aí é altura de entrarmos em pânico e pensar: isto tem tudo tão bom aspecto que eu quero devorar, mas não vou ter estômago! O que vale é o espadal fresquinho que temos a acompanhar, que ajuda a empurrar a comida pela goela abaixo.

Para quem ainda tiver estômago para mais, o que só vi a acontecer em raras ocasiões, pode pedir um dos 2 pratos principais disponíveis: posta ou costeletão. Qualquer uma das escolhas é boa, a carne é uma delícia, tenrinha, daquelas que só precisa de umas pedrinhas de sal para lhe dar sabor na brasa e já está! Estes pratos são acompanhados de batatas fritas fininhas e acabadinhas de sair da fritadeira, e uma salada de alface, tomate e cebola, para disfarçar a desgraça calórica!

Continuamos a emborcar espadal como se não houvesse amanhã e agora as paredes do tasco e o estilo decorativo até começa a fazer sentido na nossa cabeça. Depois de pedirmos ao sr. que nos serve um 2º estômago para cada um, somos brindados com uma pequena iguaria para terminar a refeição (sobremesa): os colh....zinhos de S. Simão, o que provoca sempre umas gargalhadas entre os clientes. Estas doçuras são cavacas (doces típicos das romarias portuguesas) cortadas a meio e regadas com mel. E também, para os que estiverem mais perto de virar o barco, há uma fatias de ananás para desenjoar.

E como não podia deixar de ser, num tasco há quase sempre aquele brinde final, o típico cheirinho, que aqui no Tatana é feito à base de aguardente + anis + groselha, guardado no congelador até à hora de servir. É posta a garrafa na mesa e cada um serve-se à vontade. Sentimos a garganta a queimar, mas ao mesmo tempo é docinho, e concencemo-nos que isto até deve fazer à digestão!

No final temos uma conta que já foi mais simpática,em tempos idos, no entanto, pela quantidade e qualidade da comida diria que está apenas um pouco inflacionada: 20€ com tudo incluído!
Depois é altura de rebolarmos até ao carro e ter a esperança que o GPS nos leve para casa.

Nota: só servem jantares (nada de almoços) e está sempre à pinha ao fim de semana, por isso convem reservar, especialmente se se tratar de um grupo.
 
Adega Regional "Tatana"
Rampa da Escola
Carvalhosa, Paços de Ferreira
Tlf: 255 962 971


Venham mais tascos! :)

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Preparando o Natal: meia decorativa

Precisava urgentemente de algo natalício para pendurar numa porta. Pensei em fazer uma coroa, mas optei por fazer uma meia, uma vez que tinha todo o material que precisava para a fazer.
 

A ideia tirei-a do site Dream a Little Bigger, que além desta meia tem outras ideias bastante originais para o Natal. A imagem do boneco-biscoito já a conhecia também de outros ornamentos, e sempre a achei engraçada.
 
Comecei por fazer um esboço do projeto.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Depois desenhei a meia no feltro vermelho e recortei duas.
 
Passei ao boneco: desenhei-o no feltro castanho e recortei. Os pormenores, desenhei-os nos vários feltros (branco, preto, azul claro, azul escuro, rosa e vermelho) e recortei.
 
Em seguida, colei todos os pormenores e reforcei alguns com pontos.
 
 
 
Cosi o boneco a uma das partes da meia e finalmente cosi as 2 partes da meia. Acrescentei um guizo ao topo da meia, para quando se move a porta, ouvir-se o guizo.
 
 
Não ficou o máximo?
 
Para verem como resultou, já recebi alguns rebuçados dentro da meia! :)

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Prendas de Natal: Avental Cupcake

Mais uma prenda que poderão oferecer neste Natal, principalmente se a pessoa a quem o oferecerem gostar de cozinhar: um avental estilo vintage!
 
Aqueles que costumam acompanhar o blog, já devem saber que eu adoro aventais e como tal também é uma das prendas que mais ofereço. Mas de todas as vezes faço algo diferente porque apesar de ser uma peça básica de costura, dá para fazer imensas variações (romântico, prático, vintage, urbano, etc.).
 
Apesar dos tecidos escolhidos para este serem os mesmos de um outro avental que fiz para oferecer à amiga S. (podem seguir o link abaixo), o modelo de avental foi baseado num avental que vi num site e o resultado foi este:
 
 
 
Os pormenores da "saia" com o bolso e o peito com um lacinho:
 
 
 
Se quiserem ver outros projetos de aventais feitos por mim, sigam os links:
 
Este avental encontra-se disponível em leilão na página de
 Facebook de Donna Lisa
 a partir de 10 "aéreos", nas próximas 48h.
 
Licitem e ofereçam esta original prenda neste Natal! :)


segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Preparando o Natal: cones natalícios


Mais um ano passou e chegou a hora de tirar as decorações de Natal dos caixotes e espalhar espírito natalício pelos locais onde passamos mais tempo!
 
Desta vez, para adicionar algo novo aos ornamentos dos anos anteriores, fiz uns cones natalícios que dão umas árvores de Natal em miniatura super castiças para colocar em cima de uma mesa, secretária, armário, etc! E de prefência sem gastar dinheiro, reutilizando materiais que existem por casa (papel, restos de tecidos, cola...).
 
 
O objetivo era fazer 3 árvores semelhantes mas com algo diferente que as distinguisse.
Comecei por fazer os cones em cartolina, do tamanho que pretendia.
 
 
 
 
 
 
 
Depois pus a pistola de cola quente a aquecer e cortei fitas de tecidos variados para ir colando no cone, desde sarapilheira a bordados, feltro, fitas de Natal, etc.
 
 
 
  
Numa delas, que estava menos colorida, colei no fim uns botões com brilhantes para dar um toque festivo, como se fossem bolas de Natal.
 
Por fim, fiz 3 estrelas de feltro e colei no topo de cada árvore-cone.



Conclusão: tenho decorações originais, personalizadas e, melhor ainda, a custo zero!
A imaginação é grátis! :)
 
 
 
Para verem mais sugestões de decorações de Natal, vejam os meus posts do ano passado: 
 

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Prendas de Natal: agendas 2013!

 
 
Donna Lisa apresenta... mais uma prenda original e económica para oferecerem este Natal: uma agenda para 2013 com uma original capa de tecido, que poderá ser reutilizada noutros cadernos, livros ou agendas (dos proximos anos), desde que tenham as mesma dimensões.
 
Tenho 2 agendas disponíveis, ambas da Ambar, em que cada página corresponde a 1 dia, e têm as seguintes dimensões:
  • Agenda pequena: 9 x 15 cm
  • Agenda grande: 15 x 21 cm
 
 Comecei pela escolha dos tecidos, primeiro para a agenda mais pequena.
 
Passei depois para a construção do painel da frente.
 
 
 
 
 
 
Depois juntei o painel da parte de dentro, os bolsos e já está!
 
 
 
 
Quanto à agenda maior, optei por tons mais escuros, talvez influenciada pelo frio do dia em que construi a capa, e resultou nisto:
 
 
 
Agenda pequena: 7,50 "aéreos"
Agenda grande: 10 "aéreos"
 
 
Façam o vosso pedido na página do
Facebook da Donna Lisa, ou aqui em comentário
ou ainda pessoalmente.


segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Prendas de Natal: Sweet Box

Ok pessoal, está oficialmente aberta a época natalícia! Apesar de já ter visto casas enfeitadas com os mais variados ornamentos e iluminações de Natal desde o início de Novembro, para mim esta época só começa verdadeiramente com o mês de Dezembro, e claro com a construção e inauguração da árvore de Natal cá de casa.
 
Assim sendo, além de várias sugestões para a decoração natalícia e alguma culinária da época disponível no blog, este ano a Donna Lisa tem uma NOVIDADE! Teremos alguns produtos caseiros e handmade Donna Lisa, à venda, como sugestão de prenda de Natal, com a particularidade de serem low-cost, para fazer frente à crise!
 
 
O primeiro produto disponível da Donna Lisa é a Sweet Box! Trata-se de uma pequena caixa rústica de madeira (aquelas que estava a construir aqui) repleta de frascos de compotas variadas. Os frascos são de 75 ou 120ml, e todas as caixas têm mais ou menos o mesmo volume total de compotas, distribuídas em 4 ou 5 frascos por cada box, selecionados dos seguintes sabores:
  • doce de abóbora tradicional
  • doce de abóbora com amêndoas
  • doce de curgete com nozes
  • doce de figo com pinhões
  • doce de melão com maçã e limão
  • doce de framboesa e amora
  • doce de pêssego

Assim, se não sabem o que hão-de dar neste Natal, especialmente àquela pessoa que não precisa de nada em particular, já sabem: podem oferecer uma prenda bem docinha e com a vantagem de, depois de ter devorado todos os frascos de doce, poder reutilizar a caixa de madeira para colocar outras coisas (p. ex.: vasos, frascos de especiarias, etc!).
 
Temos 9 Sweet Box's que estão disponíveis a partir de agora, por 10 "aéreos", por ordem de pedido (data e hora), aqui e na página do facebook da Donna Lisa.
 
 
Fiquem atentos ao blog, em breve haverá mais produtos (e bem diferentes deste) disponíveis para este Natal! :)

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Queques de gengibre com doce de abóbora


Numa tarde fria de Domingo, inspirada pela leitura da revista semanal do Expresso, onde vejo sempre as receitas do Jamie Oliver, deu-me uma vontade de fazer uns queques docinhos para acompanhar um chazinho quente. Esta receita foi em parte inspirada na receita do Jamie de sponge cake rápido feito em chávenas.
 
Os ingredientes:
  •  2 chávenas de farinha (mistura de farinha normal e integral em partes iguais)
  • 3/4 chávena de açúcar mascavado
  • 1 colher de chá de bicarbonato
  • 1 colher de chá de gengibre
  • 1 colher de chá de fermento
  • 1 pitada de canela
  • 1 pitada de baunilha
  • 1 ovo
  • sumo de uma laranja
  • raspa de laranja
  • 1/4 chávena de óleo de côco ou sumo de maçã

Pré-aquecer o forno a 200ºC.
 
Numa tigela, misturam-se os ingredientes secos: farinha, açúcar, bicarbonato, gengibre, canela e baunilha. Noutra tigela, misturam-se os restantes ingredientes.
 
Envolvem-se os ingredientes secos na mistura húmida, até a massa estar bem homogénea.
 
Preparam-se as formas dos queques, e aqui deixo ao critério de cada. Eu optei por usar formas de papel dentro das forminhas dos queques, mas quem não tiver pode fazer diretamente nas forminhas mas tem de as untar com manteiga e farinha.
 
Distribuir a massa pelas forminhas dos queques e levar ao forno por 20 ou 30 minutos (espetar um palito para ver se já estão "cozidos" por dentro). Retirar do forno e deixar arrefecer por 1 minuto antes de retirar os queques das formas. Depois deixar arrefecer numa grelha.
 
Eu apliquei doce de abóbora no topo de cada queque e ficaram deliciosos pois, como os queques não ficaram demasiado doces, esta compota vem dar uma doçura extra. Quem quiser pode colocar outra compota, ou mesmo uma cobertura de chantili ou glace de açúcar.

 

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Tascos imperdíveis: Novo Rumo

 
Com este post vou dar início a uma nova temática dentro da categoria Sítios sobre tascos onde vale mesmo a pena ir, fruto da minha experiência, claro.
 
tascos (definição de Donna Lisa): restaurantes onde se come em quantidades industriais, pratos tipicamente portugueses, sem o mínimo de preocupação por níveis de gordura, sal e açúcar, e cuja última das prioridades é a decoração do local (o que não quer dizer que seja obrigatoriamente má); normalmente os pratos são confecionados com produtos locais, de ótima qualidade, que provavelmente não passaram em nenhum controlo de qualidade (só o do cliente) e são geridos como um negócio familiar, em que diversos elementos da família cumprem as várias funções no tasco (desde a mãe cozinheira até ao pai empregado de mesa); além de tudo isto, são espaços que estão sempre cheios de clientela, barulhentos, e a conta no final é desproporcionalmente inferior à quantidade de comida que se ingeriu.
 
Para começar esta "categoria" vou dar-vos a conhecer o restaurante Novo Rumo, na Maia. Este tasco foi nos apresentado pela amiga M. (a que recebeu o cavalo de pau), que já é frequentadora assídua deste espaço há algum tempo. Sabendo o nosso gosto (ou adoração mesmo) em conhecer este tipo de estabelecimentos, convidou-nos a experimentá-lo.
 
A decoração é a típica de um restaurante português que tenta mudar um pouco ao longo dos anos para se modernizar, o que acaba por dar uma grande salsada em estilo decorativo, mas não é má de todo. Há que dizer que mesmo com reserva feita para jantar, temos de esperar um pedaço pela mesa, pois o restaurante está sempre cheio (à pinha!), especialmente com jantares de grupo, o que torna o espaço um pouco barulhento.
 
Vamos ao que interessa: a comida!! Bem, começa-se pelas entradas, como é habitual. Na mesa temos à nossa espera: pataniscas de bacalhau (grandes e com bacalhau mesmo), presunto fatiado fininho, diversos tipos de pão (entre os quais, algo do género pão e broa com chouriço), azeitonas, chouriço assado e alheira, polvo em molho verde, etc.
 
 Enquanto nos empanturramos com as entradas, e bebemos um bom vinho (a adega é rica em variedade) escolhemos o prato principal. Recomenda-se a vitela assada, o cabrito (disponível apenas em certos dias da semana) e os filetes de polvo. Mas parece-me que seja qual for o prato escolhido, será bem servido!
 
 
 
 
 
 
 
 
A vitela é divinal, tenrinha e de boa qualidade. Vem acompanhada por umas belas batatinhas assadas na mesma assadeira e bem condimentadas com o molho da vitela. A acompanhar um arroz de forno em assadeira de barro, bem apetitoso e a fazer lembrar os assados da avó, e um desenjoativo esparregado.
 
 
 
 
Os filetes de polvo são também tenrinhos, com um toque agradável de limão, e acompanhados de um arroz malandrinho de polvo (com bastante tomate).
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Quando parece que o nosso estômago vai rebentar, não pensem que já terminou, é a vez das sobremesas! O nosso espanto vai para o facto de nos serem colocados todos os bolos em cima da mesa para nos deleitarmos à descrição. Tivemos direito a: bolo de chocolate húmido, quindim, bolo de bolacha, tarte de limão, profiteroles em mousse de chocolate, etc! Já não me recordo do que mais havia, pois as sobremesas vão variando conforme os dias, mas diga-se que são todas deliciosas.
 
 
No final, uma água gaseificada fresquinha para acalmar o estômago, os cafés e a conta. A dolorosa (conta) não é assim tão dolorosa, pagamos em média 16€ por pessoa, o que me parece um valor muito simpático para a quantidade e qualidade de comida servida e ingerida.
 
 
 
 
Venham mais tascos! :)