Pesquisar neste blogue

A carregar...

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Cómoda

Tudo começou com uma básica cómoda de madeira ...
Que já tinha sido alterada há uns anos atrás, com uma simples pintura de cinza escuro:


Agora para lhe dar destaque, e para se enquadrar melhora na nova divisão, demos um novo visual a este móvel, através do uso de um stencil (comprado no ebay):


E aproveitamos para trocar os puxadores por uns de vidro, mais sofisticados.



O que acham? :)


Nota: reconhecem aquela cabeceira de cama ao lado da cómoda? :)


quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Um garrafão transforma-se em...?

Há uns meses atrás, nas obras de reconstrução da casa de uns amigos, encontrei uns pequenos tesourinhos, escondidos no meio de tralhas dos antigos proprietários: 3 velhos garrafões de palha.
Apesar de estarem com a "carapaça" a desfazer-se, o que me interessava era o "recheio". A minha imaginação ficou logo rendida a estes frascos gigantes de vidro.



O que fazer com estes toscos garrafões? Convertemos em... candeeiro de mesa!

Começamos por retirar a "carapaça" de palha do garrafão, e ficamos com um gigante jarro de vidro que depois de bem lavado passou ao passo seguinte.


Esta foi a parte mais delicada do processo: fazer um furo no vidro para fazer passar o fio elétrico. Além da broca do berbequim ter de ser especial para vidro (broca de diamante), o furo tem de ser feito com água a correr na zona, senão aquece muito e podemos estragar tudo, o vidro pode estalar e eventualmente partir-se...


Depois deste momento de tensão bem sucedido (uffa!) passamos o fio elétrico (próprio para candeeiros, o que inclui o fio + interruptor + ficha) pelo furo até saír pelo gargalo do garrafão.


Depois de ligarmos o fio elétrico a um casquilho para lâmpadas, colamos este casquilho no gargalo do garrafão.


No final foi só arranjar um abajour catita e o candeeiro estava pronto! :)


Candeeiros semelhantes a este podem custar uma pipa de massa em lojas de decoração, mas este nãooooo: só precisamos de comprar o fio elétrico, o casquilho e o abajour, e resultou nesta beleza que ficou em cima do aparador azul :)





quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Aparador e toucador Queen Anne

No OLX encontra-se de tudo mas quando encontrei os chamados móveis "Quinane" fiquei intrigada, até ter percebido que afinal eram Queen Anne, os típicos móveis do século XVIII e replicados nos séculos seguintes, cheios de curvas e rococós.
Andava à procura de um aparador para a sala, com "cristaleira" (para pôr as garrafas de licores e afins) e encontrei este fantástico móvel, em relativo bom estado, por um preço bestial!




Mãos à obra! Tiramos fechaduras e puxadores e toca a lixar.
Lixar é a coisa mais aborrecida e demorada no mundo das transformações de móveis, mas para obtermos uma pintura bonita e duradoura, tem que ser!



Depois avançamos com a primeira demão de tinta, de um azul escuro acetinado, deixamos secar, e aplicamos outra demão.


O interior da cristaleira foi revestido a um tecido floral, em que basicamente recortei o tecido à medida dos paineis laterais e colei ao móvel, usando cola branca ligeiramente diluida em água (é preferivel usar Modge Podge mas fica mais dispendioso). 


E aqui está o resultado final. Um aparador "Quinane" cheio de estilo! :)



E o mesmo fizemos a um toucador para o quarto e respetiva banqueta, também do género:


Que pintamos de um cinza claro mate e transformamos nesta beleza:

Estofei a banqueta com um tecido macio da mesma cor da tinta do móvel.

E ainda sobrou o espelho que há-de servir para um outro projeto qualquer (ideias não faltam!).



sexta-feira, 15 de julho de 2016

Caixa de ferramentas?...

Na nossa cozinha há meia dúzia de condimentos que têm de estar mesmo à mão: azeite, sal, vinagre, piri-piri... Tinha visto há algum tempo atrás, nalgum artigo de decoração campestre, a ideia de utilizar uma caixa de ferramentas antiga (em madeira) para acondicionar facilmente todos esses temperos.
Ora, como não encontrei nenhuma caixa dessas, decidi fazer uma! Encontrei um projeto semelhante algures na internet, mas ajustei as medidas ao que eu pretendia, e em quase 2 horas fiquei com uma caixa de ferramentas "antiga" nova, eheh!

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Fuso de prensa transforma-se em...?

No rés do chão da nossa casa, como uma antiga casa de lavoura assim o exigia, existia um grande lagar em pedra com prensa de fuso. Mas claro que nem pensamos em desfazer-nos destas relíquias!... 

A prensa do lagar, ainda no interior da casa.
O lagar (com muito esforço) foi deslocado para o exterior da casa e passou a ser um refrescante tanque, que à sombra de um castanheiro, proporciona momentos serenos e tranquilos que um elemento de água é capaz. 



O fuso da prensa (em madeira). Se reparem, na base ele está preso a uma gigante pedra de granito, que servia de contra-peso quando a prensa era usada,

Quanto ao fuso da prensa, depois de muito pensarmos no assunto, e de muitas ideias terem sido postas de parte, fez-se luz! Literalmente!.. Porque este fuso transformou-se num candeeiro de pé para a nossa sala, eheh!


Começamos por o desmontar da base de pedra.

Fazer um tratamento com inseticida era essencial para evitar que a madeira fosse usada como alimento por diversas criaturas.
Para o fuso se segurar em pé, acrescentamos 4 pernas à base (uma verdadeira obra de engenharia!).

Depois adicionamos várias camadas de verniz para selar bem a madeira e protegê-la durante muito tempo.

Para criarmos um suporte para pendurar as lâmpadas, usamos um fecho "trinco" de um do antigos portões da casa.

E aqui está o resultado final!


O fio elétrico que usamos é do género dos fios dos ferros de engomar, revestido a tecido, neste caso uma espécie de sarapilheira, parecendo uma corda. 
Enrolamos o fio usando o percurso da rosca desenhada na própria madeira e ligamos 2 lâmpadas. 


Quanto às lâmpadas, sou fã destas de estilo vintage, de filamentos, que são tão bonitas por si só que não precisam de abajour ou qualquer tipo de acessório.


Este material foi comprado numa lojinha no cruzamento da Rua do Almada com a Rua Ramalho Ortigão, no Porto, que tem material elétrico muito original, e um atendimento 5 estrelas, recomendo!



quinta-feira, 9 de junho de 2016

Outra porta transformada em...?


Seria um crime deitar fora um velho portão gigante de madeira com mais de uma centena de anos... Apesar de já não servir como porta de entrada para a casa, por estar muito danificado, aqui para a equipa Donna Lisa, isso significa MATÉRIA PRIMA para novos projetos! :)
Tenho de admitir que este foi um dos projetos mais ambiciosos e trabalhosos onde nos metemos até agora cá em casa... Demorou meses a ser concretizado, acabou por ficar mais caro do que prevíamos mas o resultado ficou fantástico e no qual temos muito orgulho! 

Nota1: Uma das metades deste portão serviu para fazer o cabide do hall de entrada, como já mostrei noutro post. Para este projeto usamos a outra metade.

Bem, mas já chega de preâmbulo, vamos à ação! :)

Começamos por tirar a chapa que revestia a parte inferior da porta, o que por si só deu muito que suar, porque os "antigos" sabiam mesmo o que faziam! 


Depois tivemos de uniformizar a superfície da porta, de forma a que todas as tábuas ficassem ao mesmo nível. Isso implicou despregar as tábuas, nivelá-las e pregá-las outra vez.


Lixar, lixar, lixar! Muito!!


Pulverizar com inseticida.


Colocamos reforços na parte de trás da porta.


Avançamos para o tratamento da superfície, começando por colocar resina epoxy nas fissuras entre as tábuas e nos orifícios maiores da madeira.


Depois avançamos para o revestimento da superífie toda também com epoxy.


Deixamos secar bem ao longo de vários dias.


Lixamos ligeiramente a camada de epoxy para não ficar com um acabamento tão brilhante.


E finalmente aplicamos verniz acetinado.


Agora que a parte do tratamento da madeira estava pronta, apenas faltava acrescentar... umas pernas!


E aqui está o resultado final: uma fantástica mesa de jantar! :)


Modéstia à parte, mas esta mesa ficou magnífica! :)


É sempre motivo de conversa quando recebemos alguém novo em casa porque é um móvel que se destaca pela sua envergadura, beleza e originalidade.


E assim conseguimos manter mais um elemento que já fazia parte desta casa há mais de um século, com outra utilidade.


Notas de "desabafo": 

Este projeto demorou vários meses devido à nossa disponibilidade. Acaba por ser apenas ao fim de semana que podemos dedicar-nos a este tipo de trabalhos mais morosos, porque durante a semana é para nós impossível. Isso implica ter apenas 2 dias por semana para conseguir avançar um passo na alteração da mesa. Por exemplo, quando aplicamos inseticida num domingo e temos de esperar 24h, só voltaremos a pegar no projeto daí a uma semana...

Outra grande dificuldade foi comprar o Epoxy... Para começar foi uma aventura encontrar empresas que vendessem esta resina, e ainda testamos outra em alterativa, mas ficou uma bodega. Quando finalmente encontramos quem vendesse epoxy, não tinham em stock. Depois quando já havia, era de um tom azulado (e nós queriamos transparente!). Finalmemte encontramos o epoxy pretendido mas a quantidade recomendada para esta mesa implicava gastar uma pequena fortuna pelo que compramos apenas o essencial e tentamos não desperdiçar nem uma gotinha!

As pernas da mesa foram compradas na loja online da empresa inglesa Wicked Hairpins, especializada neste tipo de pernas e que tem produtos fantásticos; os portes de envio é que custaram mais do que o normal porque a encomenda era bastante pesada (aço reforçado por causa do peso da mesa).




sexta-feira, 3 de junho de 2016

Terminal 4450

O Terminal 4450 é um dos restaurantes onde estive ultimamente que mais gostei de conhecer. Para mim, além da qualidade da comida, a decoração é algo que marca muito a minha opinião sobre um restaurante, daí este Terminal ter ficado no meu Top 10! :)

Localizado em pleno Porto de Leixões, quando se entra neste espaço, temos a ilusão que vamos embarcar numa qualquer viagem oscilante em navio, até porque à porta do terminal encontramos uma série de malas de antigos passageiros e um grande relógio a marcar o tempo.

Prontos para a viagem?...




Na entrada da zona de bar, encontramos um banco de carpinteiro como móvel de apoio (onde é que eu já vi isto?...)


E quando nos deslocamos para a nossa mesa reservada, damos de caras com esta magnífica paisagem do fim do dia, e é curioso ficarmos instalados entre rebocadores de grandes navios.




As entradas são muito originais, desde pipocas com sabor a linguiça, as azeitonas e queijo feta, assim como o mix de pãezinhos que vem dentro de um saco de papel e são uma delícia (tem um pão doce que é de comer e chorar por mais!).



Para escolher o prato principal e depois as sobremesas, recebemos o passaporte onde, em vez de destinos visitados, podemos ler a ementa e selecionar entre os petiscos e as belas carnes.



Curiosidade: apesar do restaurante ficar em pleno ambiente marítimo e de pesca, não há peixe na carta! Carnes de muito boa qualidade e bem grelhadas na brasa são as especialidades deste sítio.
 

Os acompanhamentos, assim como as entradas, são também muito originais e escolhidos por nós. Aqui escolhemos o arroz de estrugido, as batatas fritas, feijão preto e anéis de cebola.


Para sobremesa uma deliciosa tarte de maçã e uma original bola de berlim que surpreende pela mistura de sabores.



Por fim, a "maldita" conta, presa por um canivete à tábua de madeira (para não fugir!).


Esta parede é incrível... Imagino que antigamente se pudesse consultar neste quadro os destinos e horários dos navios, mas agora não deixa de ser também interessante, pois nela podemos ler com toda a grandiosidade a carta do Terminal.


Terminal 4450
Av. Dr. Antunes Guimarães
Leça da Palmeira
Tlm: 919 851 933